Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (1Rs 21,1-16)
Leitura do Primeiro Livro dos Reis.

Naquele tempo, 1Nabot de Jezrael possuía uma vinha em Jezrael, ao lado do palácio de Acab, rei de Samaria. 2Acab falou a Nabot: “Cede-me a tua vinha, para que eu a transforme numa horta, pois está perto da minha casa. Em troca eu te darei uma vinha melhor, ou, se preferires, pagarei em dinheiro o seu valor”.

3Mas Nabot respondeu a Acab: “O Senhor me livre de te ceder a herança de meus pais”. 4Acab voltou para casa aborrecido e irritado por causa desta resposta que lhe deu Nabot de Jezrael: “Não te cederei a herança de meus pais”. Deitou-se na cama, com o rosto voltado para a parede, e não quis comer nada.

5Sua mulher Jezabel aproximou-se dele e disse-lhe: “Por que estás triste e não queres comer?” 6Ele respondeu: “Porque eu conversei com Nabot de Jezrael e lhe fiz a proposta de me ceder a sua vinha pelo seu preço em dinheiro, ou, se preferisse, eu lhe daria em troca outra vinha. Mas ele respondeu que não me cede a vinha”.

7Então sua mulher Jezabel disse-lhe: “Bela figura de rei de Israel estás fazendo! Levanta-te, toma alimento e fica de bom humor, pois eu te darei a vinha de Nabot de Jezrael”.

8Ela escreveu então cartas em nome de Acab, selou-as com o selo real, e enviou-as aos anciãos e nobres da cidade de Nabot. 9Nas cartas estava escrito o seguinte: “Proclamai um jejum e fazei Nabot sentar-se entre os primeiros do povo, 10e subornai dois homens perversos contra ele, que deem este testemunho: ‘Tu amaldiçoaste a Deus e ao rei!’ Levai-o depois para fora e apedrejai-o até que morra”.

11Os homens da cidade, anciãos e nobres concidadãos de Nabot, fizeram conforme a ordem recebida de Jezabel, como estava escrito nas cartas que lhes tinha enviado. 12Proclamaram um jejum e fizeram Nabot sentar-se entre os primeiros do povo. 13Chegaram os dois homens perversos, sentaram-se diante dele e testemunharam contra Nabot diante de toda a assembleia, dizendo: “Nabot amaldiçoou a Deus e ao rei”. Em virtude disto, levaram-no para fora da cidade e mataram-no a pedradas.

14Depois mandaram a notícia a Jezabel: “Nabot foi apedrejado e morto”. 15Ao saber que Nabot tinha sido apedrejado e estava morto, Jezabel disse a Acab: “Levanta-te e toma posse da vinha que Nabot de Jezrael não te quis ceder por seu preço em dinheiro; pois Nabot já não vive; está morto”. 16Quando Acab soube que Nabot estava morto, levantou-se para descer até a vinha de Nabot de Jezrael e dela tomar posse.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Responsório (Sl 5)
— Atendei o meu gemido, ó Senhor!

— Atendei o meu gemido, ó Senhor!
— Escutai, ó Senhor Deus, minhas palavras, atendei o meu gemido! Ficai atento ao clamor da minha prece, ó meu Rei e meu Senhor!

— Não sois um Deus a quem agrade a iniquidade, não pode o mau morar convosco; nem os ímpios poderão permanecer perante os vossos olhos.

— Detestais o que pratica a iniquidade e destruís o mentiroso. Ó Senhor, abominais o sanguinário, o perverso e enganador.

Evangelho (Mt 5,38-42)
— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.

— Glória a vós, Senhor.
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 38“Ouvistes o que foi dito: ‘Olho por olho e dente por dente!’ 39Eu, porém, vos digo: Não enfrenteis quem é malvado! Pelo contrário, se alguém te dá um tapa na face direita, oferece-lhe também a esquerda! 40Se alguém quiser abrir um processo para tomar a tua túnica, dá-lhe também o manto! 41Se alguém te forçar a andar um quilômetro, caminha dois com ele! 42Dá a quem te pedir e não vires as costas a quem te pede emprestado”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Ouça a Homilia

Faça escolhas justas guiado pela graça de Deus

 “Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: Ouvistes o que foi dito: ‘Olho por olho e dente por dente!’ Eu, porém, vos digo: Não enfrenteis quem é malvado! Pelo contrário, se alguém te dá um tapa na face direita, oferece-lhe também a esquerda! Se alguém quiser abrir um processo para tomar a tua túnica, dá-lhe também o manto! Se alguém te forçar a andar um quilômetro, caminha dois com ele!” (Mateus 5,38-41).

Meus irmãos e minhas irmãs, a Palavra de Deus nos pede uma grande força de vontade nesse dia de hoje. Quanta força de vontade nós precisamos ter para não reagir diante do mal que se apresenta diante de uma injustiça sofrida, diante de uma situação que nós enfrentamos e que, muitas vezes, sentimentalmente nos pede uma reação calorosa. Quanta força de vontade!

Quanta força de decisão interior para não reagir diante desse mal, e é justamente isso: o mal nos faz reagir. Do contrário, o bem nos faz escolher. O mal não nos faz escolher uma opção certa e correta, o mal só nos faz reagir diante das provocações que nós vivemos. Mas a graça de Deus sim, a graça de Deus nos fortifica para as escolhas justas. Quanto mais nós nos abrirmos à ação de Deus, à ação da graça de Deus, mais nós teremos a capacidade de fazer escolhas justas, até mesmo diante das situações mais provocativas.

As reações são diferentes das escolhas sábias que nós podemos fazer. Somos, a todo momento, colocados diante de provas; somos, a todo momento, colocados diante de provocações e situações nas quais precisamos aplicar aquilo que está dentro de nós: o poder da graça de Deus, o poder que age a partir de nós, dentro de nós, para nos colocar sempre nas opções que nos levam para o caminho do Senhor.

Quanto mais nós nos abrirmos à ação de Deus, à ação da graça de Deus, mais nós teremos a capacidade de fazer escolhas justas

O Evangelho de hoje não pede de nós técnicas de autocontrole, como se nós pudéssemos ou apenas realizássemos uma técnica de respiração diante de uma situação provocativa, talvez a prática de yoga, uma meditação que nos levasse, por exemplo, a essa serenidade; repetir um mantra. Não! O Evangelho não nos pede esse tipo de postura, o Evangelho pede de nós uma escolha, uma escolha que é guiada por princípios, uma escolha que é guiada por uma experiência pessoal com o Senhor.

Por isso, o Evangelho de hoje nos dá o chamado, o apelo a fazer uma escolha igual ou contrária àquilo que o mal está sugerindo. Se o mal hoje se apresenta diante de você e lhe pede algo, a Palavra de Deus, o Evangelho, está pedindo para nós totalmente o contrário.

Não basta resistir à provocação do mal, precisamos contra-atacar, mas com um bem muito superior àquele mal; contra-atacar no sentido de dar àquela situação uma resposta completamente diferente e contrária àquilo que ela está pedindo. Como fazemos isso? Reforçando a nossa vontade interior, cultivando ainda mais a nossa intimidade com o Cristo, tocando cada vez mais no coração de Cristo que quer nos dar também essa capacidade extraordinária de pagar o mal com o bem, de fazer um bem sem olhar a quem.

Peçamos ao Senhor essa graça, nesse dia de hoje, que a Sua Palavra fortifique o nosso interior para que eu e você saibamos e consigamos fazer bem todas as nossas escolhas.

Sobre todos vós, desça a bênção do Deus Todo-poderoso. Pai, Filho e Espírito Santo. Amém!

Padre Donizete Ferreira    Sacerdote da Comunidade Canção Nova.

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.