Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Primeira Leitura (Is 38,1-6.21-22.7-8)

Leitura do Livro do Profeta Isaías.

1Naqueles dias, Ezequias foi acometido de uma doença mortal. Foi visitá-lo o profeta Isaías, filho de Amós, e disse-lhe: “Isto diz o Senhor: Arruma as coisas de tua casa, pois vais morrer e não viverás”.2Então Ezequias virou o rosto contra a parede e orou ao Senhor, dizendo: 3“Peço-te, Senhor, te lembres de que tenho caminhado em tua presença, com fidelidade e probidade de coração, e tenho praticado o bem aos teus olhos”. Ezequias prorrompeu num grande choro.

4A palavra do Senhor foi dirigida a Isaías: 5“Vai dizer a Ezequias: Isto diz o Senhor, Deus de Davi, teu pai: ‘Ouvi a tua oração, vi as tuas lágrimas; eis que vou acrescentar à tua vida mais quinze anos, 6vou libertar-te das mãos do rei da Assíria, junto com esta cidade, que ponho sob minha proteção’.

21Então, Isaías ordenou que fizessem uma cataplasma de massa de figos e a aplicassem sobre a ferida, que ele ficaria bom. 22Perguntou Ezequias: “E qual é o sinal de que hei de subir à casa do Senhor?” 7“Este é o sinal que terás do Senhor, de que ele cumprirá a promessa que fez: 8Eis que farei recuar dez graus a sombra dos graus que já desceu no relógio solar de Acaz”. De fato, a marca do sol recuara dez graus dos que ela tinha descido.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Responsório (Is 38,10-12.16)

— Vós livrastes minha vida do sepulcro, a fim de eu não deixar de existir.

— Vós livrastes minha vida do sepulcro, a fim de eu não deixar de existir.

— Eu dizia: “É necessário que eu me vá no apogeu de minha vida e de meus dias; para a mansão triste dos mortos descerei, sem viver o que me resta dos meus anos”.

— Eu dizia: “Não verei o Senhor Deus sobre a terra dos viventes nunca mais; nunca mais verei um homem neste mundo!”

— Minha morada foi à força arrebatada, desarmada como a tenda de um pastor. Qual tecelão, eu ia tecendo a minha vida, mas agora foi cortada a sua trama.

— Ó Senhor, meu coração em vós espera; por vós há de viver o meu espírito, curai-me e conservai a minha vida.

Evangelho (Mt 12,1-8)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

1Naquele tempo, Jesus passou no meio de uma plantação num dia de sábado. Seus discípulos tinham fome e começaram a apanhar espigas para comer. 2Vendo isso, os fariseus disseram-lhe: “Olha, os teus discípulos estão fazendo o que não é permitido fazer em dia de sábado!”

3Jesus respondeu-lhes: “Nunca lestes o que fez Davi, quando ele e seus companheiros sentiram fome? 4Como entrou na casa de Deus e todos comeram os pães da oferenda que nem a ele nem aos seus companheiros era permitido comer, mas unicamente aos sacerdotes? 5Ou nunca lestes na Lei, que em dia de sábado, no Templo, os sacerdotes violam o sábado sem contrair culpa alguma?

6Ora, eu vos digo: aqui está quem é maior do que o Templo. 7Se tivésseis compreendido o que significa: ‘Quero a misericórdia e não o sacrifício’, não teríeis condenado os inocentes. 8De fato, o Filho do Homem é senhor do sábado”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Ouça a Homilia

Cumpra, em sua vida, a regra do Amor e da Misericórdia

 “Ora, eu vos digo: aqui está quem é maior do que o Templo. Se tivésseis compreendido o que significa: ‘Quero a misericórdia e não o sacrifício’, não teríeis condenado os inocentes. De fato, o Filho do Homem é senhor do sábado” (Mateus 12,6-8).

Meus irmãos, o Evangelho de hoje apresenta, mais uma vez, o conflito de Jesus com os doutores da Lei, com os mestres da Lei, com aqueles que eram os entendidos da Palavra. Porque a ocasião era que os discípulos colheram algumas espigas, porque eles estavam com fome. Nada mais justo, não é? Quando você tem fome, comer. É ou não é verdade?

Nada mais justo quando passarmos por um pobre, por um necessitado que pede um alimento, nada mais justo que oferecer um alimento àquela pessoa. Mas, infelizmente, aqueles doutores da Lei, aqueles fariseus, aqueles sacerdotes, estavam presos à Lei pela Lei que mata. Eles enxergavam aquela colheita que os discípulos estavam fazendo como um trabalho, e Jesus enxergava com misericórdia.

Jesus ensinava, então, que Ele não quer o sacrifício, mas Ele quer a misericórdia. Não era um trabalho simplesmente que eles estavam realizando, mas era a fome que estava ali para ser saciada daqueles discípulos, e era o dia de sábado. O conflito todo, a dificuldade toda, era por causa da lei do sábado.

A principal regra que precisamos cumprir é a regra do Amor, é a regra da Misericórdia

E o Senhor pôde expressar, então, que, na verdade, Ele é maior que a lei do sábado, que Ele estava ali autorizando porque Ele tinha essa capacidade dada pelo Pai a Ele, mas Ele também ali ensinou que vale muito mais a misericórdia do que a regra pela regra, vale muito mais o amor, amor a Deus e o amor ao próximo, do que a Lei pela Lei que não permitia… Mas a Lei que Nosso Senhor veio nos transmitir foi a Lei do Amor, a Lei da Misericórdia.

Hoje, precisamos, meus irmãos, viver esta Lei, a Lei do Amor de Deus, a Lei da Misericórdia de Nosso Senhor. Por quem passarmos hoje, vamos dar o Pão da Palavra, o pão (alimento) para esse irmão, para essa irmã. Ainda que tenhamos regras a cumprir, a principal regra que precisamos cumprir é a regra do Amor, é a regra da Misericórdia.

O Senhor é maior que o sábado, e o sábado foi feito para o homem. O Senhor nos ensinou. O sábado não foi feito para prender o homem, mas para deixá-lo ainda mais livre. Então, a Lei pela Lei mata, mas a Lei do Amor dá a vida. É essa Lei que precisamos viver!

Vivamos a Lei da Vida, vivamos a Lei do Amor e da Misericórdia. Estendamos as nossas mãos, os nossos braços, o nosso coração, e não estejamos presos à Lei pela Lei, que mata, mas à Lei de Cristo, que nos ensina a estender a mão e o coração aos nossos irmãos.

A bênção do Deus Todo-poderoso. Pai, Filho e Espírito Santo. Amém!

Padre Márcio Prado   Sacerdote da Comunidade Canção Nova.

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.