Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Com a prevalência de temperaturas mais baixas, a disseminação de vírus causadores de doenças como resfriado, gripe, otite e até mesmo Covid-19 torna-se mais frequente, o que reforça o alerta sobretudo para grupos que possuam baixa imunidade, como idosos, crianças e gestantes.

Com o registro de temperaturas baixas em distintos pontos do Paraná, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) alerta sobre os principais cuidados a serem tomados durante o inverno, ciclo que se iniciou ontem (21). Com o frio, a disseminação de vírus causadores de doenças como resfriado, gripe, otite e até mesmo Covid-19 torna-se mais frequente, o reforça o alerta sobretudo para grupos que possuam baixa imunidade, como idosos, crianças e gestantes.

“É um período propenso a doenças e é preciso estar sempre ligado para proteger sua saúde pessoal. Por isso, fazemos um apelo para que todos os paranaenses compareçam aos postos de vacinação e completem seu esquema vacinal. A imunização contra vírus como da Influenza e Covid-19 é indispensável para evitar complicações e manter o sistema imunológico em dia”, afirmou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

Comuns nesse período, as Síndromes Gripais (SG) são caracterizadas por sintomas como febre, tosse, dor de garganta, calafrios e dor de cabeça, além de possíveis distúrbios olfativos ou gustativos. Apenas no último ano, a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), forma mais aguda dessas manifestações, acometeu mais de 56 mil paranaenses. Neste ano, o Paraná registrou 13.712 casos de SRAG, com 575 deles por Influenza e 1.883 por Covid-19. Também foram confirmados 809 óbitos por complicações advindas destas síndromes.

Vacinação

Até o momento, o Paraná já registrou, de acordo com dados do vacinômetro nacional, mais de 29 milhões de doses aplicadas contra a Covid-19. Em relação a este imunizante, o alerta principal se dá à vacina bivalente, que possui uma cobertura de apenas 13,9% do público acima de 18 anos. Já em relação à Influenza, o Estado é o 6º do país em número total de doses aplicadas, com pouco mais de 2,8 milhões, cerca de 54% do grupo prioritário.

Hábitos

A adoção de hábitos saudáveis pode contribuir para fortalecer as defesas do corpo. Algumas das principais práticas sugeridas para esse período incluem exercícios físicos, hidratação, alimentação equilibrada e uso de roupas apropriadas, além de manter ambientes arejados. Uma das maiores lições da pandemia, a higienização das mãos também é fundamental para a prevenção.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a lavagem correta das mãos pode reduzir em até 40% os riscos de contrair doenças como conjuntivite, gripe ou dor de garganta. O consumo de vitamina D também é recomendado, uma vez que no inverno, com dias mais curtos e frios, o contato com a exposição solar tende a diminuir.

AEN

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.