Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Enfrentamento da doença é prioridade do governo federal

Desde 2023, o Ministério da Saúde coordena uma série de ações com foco no combate à dengue. Nas últimas semanas, a pasta anunciou ampliação para R$1,5 bilhão o recurso para apoiar estados, municípios e o Distrito Federal no enfrentamento de emergências em saúde pública; distribuiu vacinas para regiões prioritárias; aproximou diálogo com o Instituto Butantan e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) para ampliar a produção do imunizante; instalou um Centro de Operações de Emergência (COE); produziu novas ações pela campanha de conscientização e enfrentamento da doença; e realizou um pronunciamento nacional na rede aberta de rádio e televisão.

Entenda a ampliação dos recursos para emergências em saúde

O Ministério da Saúde ampliou para R$ 1,5 bilhão os recursos reservados para apoiar estados, municípios e o Distrito Federal no enfrentamento de emergências, como a alta de casos de dengue no país. Em portaria publicada na última sexta-feira (9), a Pasta também anunciou otimização para acelerar a liberação de recursos para estados e municípios que decretarem emergência, seja por dengue, outras arboviroses ou situações que acometam a saúde pública.

O apoio financeiro será destinado para medidas de prevenção, controle e contenção de riscos, danos e agravos à saúde pública em situações que podem ser epidemiológicas, de desastres, ou de desassistência à população. Para receber o recurso, o estado ou município deve enviar ao governo federal um ofício com a declaração de emergência em saúde. Os repasses serão mensais durante a vigência do decreto de emergência.

Também será necessário apresentar um plano de ação, que deve conter a apresentação da condição de saúde local, considerando a situação epidemiológica, necessidade de atendimento à população e a sobrecarga da rede assistencial. Também deve detalhar as ações de saúde a serem realizadas e os respectivos valores estimados. É possível que a solicitação de apoio ao Ministério da Saúde seja feita por mais de um ente federativo em conjunto.

Saiba mais sobre a distribuição das vacinas

No dia 8 de fevereiro, foi iniciada a distribuição de vacinas contra a dengue para municípios que atendem os critérios definidos pela Saúde em conjunto com o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems). Inicialmente, a imunização começou pelas crianças de 10 a 11 anos, mas assim que novos lotes forem entregues pelo laboratório fabricante, a faixa etária vai avançar progressivamente.

O lote inicial, com 712 mil doses, foi enviado para 315 municípios nos seguintes estados: Goiás, Bahia, Acre, Paraíba, Rio Grande do Norte, Mato Grosso do Sul, Amazonas, São Paulo e Distrito Federal. A primeira remessa atende a 60% dos 521 municípios selecionados e a previsão é que os demais recebam doses até a primeira quinzena de março. Com o recebimento das 6,5 milhões de doses em 2024, o Ministério da Saúde garante a vacinação de todas as crianças de 10 a 14 anos, nos municípios selecionados, ao longo dos meses.

Para ampliação da oferta do imunizante

A ministra da Saúde, Nísia Trindade, se reuniu com Esper Kallás, diretor do Instituto Butantan, e Mario Moreira, presidente da Fiocruz. A reunião faz parte de uma estratégia de união e coordenação de esforços para viabilizar uma maior oferta de vacinas contra a dengue para o país.

O tema também foi discutido em agenda da ministra com o presidente Luís Inácio Lula da Silva, o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom, e o diretor da Opas, Jarbas Barbosa. Em conversa sobre uma possível parceria na produção da vacina contra a dengue, o diretor da OMS afirmou considerar o Brasil como um provável fornecedor do imunizante.

Estudo inédito em parceria com a prefeitura do RJ e com a Fiocruz

Como parte do conjunto de ações estratégicas para o enfrentamento das arboviroses e do aumento de casos de dengue no Brasil, o Ministério da Saúde iniciou, nesta sexta-feira (16), um estudo para avaliar a efetividade da vacina na população adulta. A iniciativa acontece em Guaratiba, zona oeste do Rio de Janeiro. A pesquisa vai imunizar 20 mil pessoas voluntárias, entre 18 e 40 anos de idade, residentes da região e com cadastro ativo em uma das 10 unidades locais de Atenção Primária.

O objetivo é comparar a incidência de infecção sintomática de dengue em um grupo vacinado com a incidência entre não vacinados. Com isso, será possível medir a efetividade do imunizante na prevenção de casos sintomáticos de dengue por qualquer sorotipo. O estudo, realizado em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e com a Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro, vai oferecer novas evidências científicas para subsidiar a tomada de decisão na vacinação dos demais públicos aprovados pela Anvisa, da faixa etária de 4 a 60 anos.

Mais sobre a instalação do Centro de Operações de Emergência

O Ministério da Saúde iniciou as atividades do Centro de Operações de Emergência (COE) contra dengue e outras arboviroses. O objetivo da iniciativa é permitir maior agilidade no monitoramento e na análise do cenário da dengue para conter o avanço da doença no país. Coordenada com estados e municípios, essa estrutura organizacional tem participação das secretarias da pasta e representantes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), da Fiocruz, da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e do Conselho Nacional de Secretarias municipais de Saúde (Conasems).

O COE vai funcionar de forma ininterrupta durante o todo o período de elevação dos casos de dengue. As metas serão fornecer dados epidemiológicos atualizados a estados e municípios; soluções estruturantes e coordenadas para resposta rápida à emergência em curso; e informes que retratem a situação da doença, a fim de promover respostas rápidas e coletivas.

E mais: transparência e participação social!

Sem deixar de lado a transparência e o cuidado com população, um pronunciamento oficial da ministra Nísia Trindade foi exibido na rede nacional de rádio e TV para convocar uma mobilização geral de combate à dengue. Com esse objetivo, a pasta também iniciou uma campanha digital com artistas, personalidades do esporte e influencers, ressaltando que dez minutos já fazem toda a diferença na eliminação de focos do mosquito.

A ministra também se reuniu com o Fórum dos Governadores, da qual participaram 16 estados e o Distrito Federal, e com representantes de entidades do setor privado de Saúde. Além de alinhar as estratégias de combate às arboviroses e de cuidado com as pessoas doentes, os encontros valorizam o diálogo com todos os setores da sociedade para este momento crucial do enfrentamento à dengue.

Ministério da Saúde

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.