Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O vice-líder do Podemos, senador Oriovisto Guimarães, defendeu, ontem (23/8), que as pessoas enfermas tenham acesso a todos os tipos de tratamento de saúde disponíveis, mas manifestou preocupação com o aumento de custos que pode ser repassado pelos planos de saúde, caso seja obrigatória a cobertura de procedimentos além dos previstos no rol taxativo da Agência Nacional de Saúde(ANS): “Eu tenho muito medo de que, no intuito de fazer o bem, o tiro saia pela culatra. É impossível para mim, como ser humano, ser contrário a que todos tenham um tratamento digno de saúde. Eu quero que essa lei ajude a fazer o bem, mas tenho receio de que esse objetivo não seja cumprido”.

Oriovisto Guimarães falou durante a sessão do Senado Federal, que reuniu representantes do governo, da ANS, de médicos e de pacientes para debater o projeto que anula a decisão do Superior Tribunal de Justiça(STJ) e obriga a cobertura, pelos planos de saúde, de procedimentos não previstos no rol taxativo.

Para o senador paranaense, assim como em relação às escolas particulares, os que pagam planos de saúde não estão satisfeitos com o serviço oferecido pelo poder público e, ao se associarem a essa espécie de cooperativa, acabam ajudando o governo a reduzir custos: “Quero muito que todos tenham acesso à saúde de qualidade, mas qual seria a melhor forma? Se criarmos uma lei para aumentar custos, quantos ficarão de fora? Todos os lados devem ser ouvidos, inclusive os representantes dos planos de saúde¿”

Veja o vídeo!   https://www.youtube.com/watch?v=mqIuFoInMsU&feature=emb_logo

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.