Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O informe desta ontem registra (14) 1.284 novos casos no Paraná e contabiliza 14.738 em investigação, além de 63.596 notificações. O documento não traz novos óbitos, mantendo seis mortes por dengue no Estado.

De acordo com boletim semanal das arboviroses divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) ontem (14), o Paraná atingiu 6.851 casos de dengue, distribuídos por 253 municípios. Os números referem-se ao atual período sazonal, iniciado em 1º de agosto de 2022. O informe novo registra 1.284 casos no Paraná e contabiliza 14.738 em investigação, além de 63.596 notificações. O documento não traz novos óbitos, mantendo as seis mortes por dengue no Estado nesse novo período.

Em relação à chikungunya, também transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, são mais três casos em relação à semana anterior. No atual período sazonal há 38 confirmações, sendo 23 casos importados, 13 autóctones e dois ainda em investigação quanto ao local provável de infecção. Os casos autóctones (quando a doença é contraída no município de residência) ocorreram em Pato Branco, Foz do Iguaçu, São Miguel do Iguaçu, Matelândia e Umuarama.

Durante este período sazonal não foram contabilizados casos de zika. Houve 42 notificações, sendo que nove estão em investigação.

A Sesa mantém ações permanentes para o combate ao mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya. “O combate deve ser contínuo e, além das ações desenvolvidas pela Sesa, é preciso conclamar a todos os paranaenses para que nos ajudem nesta batalha. A conscientização é uma ferramenta indispensável para o controle epidemiológico”, afirmou o secretário de Estado da Saúde, César Neves.

Cuidados

Os criadouros mais comuns do mosquito da dengue são pneus, calhas, vasos, pratos de vasos, garrafas, caixas d’água sem tampa ou com a tampa quebrada, latas, lonas ou plásticos, ralos, bromélias, piscinas sem tratamento, banheiros em desuso, cisternas sem vedação adequada e recipientes que possam acumular água.

Sintomas

Em caso de sintomas como febre, dores no corpo, cansaço e dor nas articulações, a população deve procurar os serviços de saúde e seguir as recomendações da equipe, evitando que se agrave o quadro clínico.

Confira o boletim AQUI.

AEN

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.