Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Os automóveis, que já faziam parte da frota da secretaria, serão enviados para as Organizações de Procura de Órgãos (OPOs) de Londrina, Maringá e Cascavel, no Interior do Estado, para substituir veículos antigos

A Secretaria da Saúde (Sesa) entregou na terça-feira (19), em Curitiba, seis carros para reforçar o serviço de transporte de órgãos no Paraná. Os automóveis, que já faziam parte da frota da pasta, serão enviados para as Organizações de Procura de Órgãos (OPOs) de Londrina, Maringá e Cascavel, no Interior do Estado, para substituir veículos antigos.

As OPOs fazem parte do Sistema Estadual de Transplantes (SET/PR) e atuam junto aos hospitais nos processos de entrevista familiar para doação de órgãos e tecidos. Também promovem orientações e capacitações das equipes que fazem o diagnóstico de morte encefálica e doação de órgãos em cerca de 67 hospitais distribuídos em todas as regiões do Paraná, além de realizarem o transporte de equipes captadoras e dos órgãos destinados aos transplantes.

“O trabalho do Sistema Estadual de Transplantes é muito sério e continua mantendo o Paraná na liderança da doação de órgãos no Brasil, por isso a orientação do governador Ratinho Junior é investir nesse serviço e dar cada vez mais melhores condições de trabalho e segurança a esses profissionais que estão diariamente lutando pelos paranaenses”, disse o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, que entregou os veículos.

Ao todo, o SET possui 14 carros divididos nas OPOs de Londrina (3), Maringá (3) e Cascavel (3), além dos automóveis da Central de Transplantes (5), em Curitiba. Segundo o secretário, em breve a Sesa entregará mais automóveis dar continuidade à renovação da frota. “Estamos realizando a maior renovação da frota da história da saúde, e no Sistema Estadual de Transplantes não seria diferente. Nos próximos dias vamos entregar carros novos para dar sequência a esse trabalho tão importante”, afirmou Beto Preto.

Referência

As ações do SET/PR são referência no Brasil. O último relatório divulgado pela Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos (ABTO) mostra que o Estado tem a menor taxa de recusa familiar do país, com 28%, seguido por Santa Catarina (31%), São Paulo (35%) e Espírito Santo (36%), enquanto a média nacional é de 43%.

O documento também aponta que o Paraná teve 370 doadores de órgãos efetivos entre janeiro e setembro deste ano, ficando em primeiro lugar no número de doadores por milhão de população (pmp), com 43,1 procedimentos, seguido por Santa Catarina, com 42,1 doadores pmp e Rondônia com 32 doadores pmp. Em todo o país, a taxa de doação foi de 19,6 pmp.

AEN

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.