Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Em Londrina, 11.800 serão inspecionados na área urbana para verificar a incidência do mosquito da dengue; levantamento permite que as ações de combate ao mosquito sejam mais eficientes

A Prefeitura de Londrina, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), vai finalizar os trabalhos de campo do primeiro Levantamento Rápido de Infestação do Aedes aegypti (LIRAa) de 2023 na próxima terça-feira (10). Até lá, os agentes municipais de endemias de Londrina vão vistoriar 11.800 imóveis da área urbana, para saber quais regiões precisam de mais atenção no combate ao mosquito transmissor da dengue.

A inspeção aos imóveis teve início na terça-feira (3), quando os 180 agentes começaram a percorrer os bairros da área urbana da cidade. Previstas para encerrarem nessa sexta (6), as inspeções foram prorrogadas por conta dos dias com chuva nesta semana e, agora, a nova data prevista é terça-feira (10), caso as condições do tempo permitam a execução dos trabalhos de campo.

Os agentes de controle de Endemias vão até os imóveis, sejam eles comerciais ou residenciais, de segunda a sexta-feira das 7h30 às 18h30. Através das visitas, a Secretaria Municipal de Saúde obtém dados que auxiliam nas análises entomológicas e fornecem informações sobre índices predial, como o percentual de imóveis positivos, assim como o de Breteau (IB), que verifica a porcentagem de depósitos positivos, além de mostrar os tipos de recipientes e depósitos do aedes.

Isso tudo otimiza e direciona as ações de controle de vetor, facilitando a delimitação de áreas de risco entomológico na cidade e tornando os trabalhos dos agentes mais eficientes. Entre as ações comumentemente utilizadas estão os mutirões de limpeza nos bairros, para a eliminação de possíveis criadouros do mosquito, intensificação das vistorias a domicílio, dispersão do fumacê e outras medidas.

Portanto, através do LIRAa, a Secretaria Municipal de Saúde consegue desenhar as ações que serão reforçadas no decorrer das semanas, para a erradicação do mosquito, que já causou dois óbitos em Londrina, além de 3.152 casos confirmados de dengue, sendo que, ainda, há 1.098 amostras de sangue de casos suspeitos sendo analisados em laboratório. Esses dados constam no último relatório da dengue, emitido pela SMS na quarta-feira (4).

Disque dengue

As pessoas que verificarem locais com água parada, como em piscinas abandonadas, terrenos, casas e edifícios com descarte irregular de materiais que acumulam água parada, devem denunciar no Disque Dengue, pelo 0800-400-1893. Além da dengue, o Aedes aegypti é transmissor da zika, da chikungunya e da febre amarela.

NCPML

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.