Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Prefeitura atua no enfrentamento ao mosquito Aedes aegypti por meio de uma série de estratégias e ações

Ontem (6), foram publicados os dados atualizados referentes à dengue em Londrina, divulgados pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS). O balanço aponta, até a data de ontem (5), 60.040 notificações relacionadas à suspeita da doença, sendo que 31.173 casos foram confirmados e outros 10.771 descartados. Há, ainda, 18.096 casos em processo de análise. Neste levantamento, mais uma vez não há nenhuma região do município com incidência considerada elevada.

Desde o início deste ano, até o momento, foram contabilizados 29 óbitos por dengue, sendo o último confirmado no período da última semana. Trata-se de uma mulher, 86 anos de idade, residente na abrangência do Conjunto João Paz, na região norte de Londrina. A paciente tinha comorbidades, com diabetes e hipertensão, e estava em cuidados paliativos, tendo o falecimento registrado no dia 21 de junho na Santa Casa de Londrina.

Na próxima segunda-feira (10), no bairro Mister Thomas, terá início a fase de soltura dos mosquitos Aedes aegypti, machos estéreis, dentro do projeto-piloto da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), em parceria com a empresa Forrest Brasil Tecnologia, para o controle do mosquito da dengue na cidade. Este tipo de mosquito, que não pica, é utilizado para diminuir a incidência de próximas gerações de mosquitos.

O macho acasala com a fêmea e os ovos nascem inférteis, não eclodem, o que não propicia novas gerações. Este projeto da Prefeitura é experimental e está sendo monitorado pela coordenação de Endemias, da SMS, e sua equipe técnica.

Ao todo, serão soltos 350 mil mosquitos machos estéreis por semana, no bairro Mister Thomas. A ação vai até o dia 14 de dezembro, toda segunda e quinta-feira, totalizando 23 liberações. E o Conjunto Jamile Dequech, na região sul, terá sua área acompanhada com uso de armadilhas ovitrampas.

O setor de Endemias da SMS também está realizando, no evento Paraná em Ação, ação educativa de orientações de combate à dengue e outras endemias. O evento, iniciado na quarta-feria (5), teve continuidade ontem (6), e será encerrado nesta sexta-feira (7), com programação das 9h às 17h, na Praça Luiz D’Laqua, (avenida Serra da Esperança, 1.101)

Conjunto de ações

Também está programado para a próxima semana o início do 3º Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa), cujas atividades de campo devem ocorrer de 10 a 15 de julho.

Regularmente, o enfrentamento ao mosquito Aedes aegypti vem sendo feito com uma somatória de iniciativas e estratégias, envolvendo atendimentos de casos suspeitos de arboviroses com busca de novos sintomáticos e eliminações de possíveis criadouros; vistorias em imóveis classificados como “pontos estratégicos”; atendimento a denúncias feitas por munícipes via 0800-400-1893 e ouvidoria; equipes realizando monitoramento por meio de armadilhas ovitrampas, mutirões educativos e limpeza de imóveis críticos. O uso de armadilhas ocorre para reduzir a densidade populacional do vetor.

Outras ações são a intensificação de atividades em bairros com alta incidência de casos suspeitos de arboviroses, levantamento de índices entomológicos e atendimento de imóveis em poder de imobiliárias e/ou particular. As ações educativas reúnem palestras nas escolas, empresas e com a sociedade civil organizada.

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.