Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Londrina, Arapongas e Cambé foram os municípios que mais contrataram no período

As cidades da região metropolitana de Londrina foram responsáveis pela criação de 13.591 empregos formais no mês de outubro, segundo dados do novo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados). O número representa um  aumento de 4% em relação ao mês de setembro, quando foram registradas 12.973 vagas, e um saldo líquido de 1.137 empregos formais.

Em setembro, o número de demissões foi de 12.214 com saldo positivo de 759 empregos formais.

Os  municípios que mais contrataram na região no mês de outubro foram Londrina, Arapongas e Cambé com 8.737, 1.661 e 1.208 contratações, respectivamente. Juntos os três municípios representam 85,3% das admissões na região.

Segundo o estudo, 55,92% dos contratados eram homens, enquanto 44,08% eram mulheres. O estudo também aponta que 63,26% dos admitidos tinham o ensino médio completo.

Setores de serviços, indústrias e comércio foram os principais empregadores na região em outubro. Os municípios da região incluem: Londrina, Bela Vista do Paraíso, Cambé, Ibiporã, Jataizinho, Sertanópolis, Tamarana, Alvorada do Sul, Assaí, Jaguapitã, Pitangueiras, Sabáudia, Florestópolis, Porecatu, Primeiro de Maio, Arapongas, Centenário do Sul, Guaraci, Lupionópolis, Miraselva, Prado Ferreira, Rancho Alegre, Sertaneja, Uraí.

Trabalho Temporário

Em outubro, a região foi responsável pela contratação de 427 trabalhadores temporários. Robson Bini, gerente regional da Employer Recursos Humanos em Londrina,  acredita que o número de  contratação de trabalhadores deve aumentar, já que a  demanda cresce no final do ano, principalmente, pela elevação nas vendas e produções.

“Especialmente no varejo, as empresas registram um aumento significativo nas vendas nesse período,  por causa do Natal e das festas de final de ano. Isso também leva a um aumento na produção e na contratação de mão de obra temporária para atender a essa sazonalidade”, diz. “Ainda, em algumas regiões do país, há mais contratação também devido ao período de safra. A contratação de trabalhadores temporários é uma solução eficaz para atender a essas demandas pontuais como o aumento da produção e da colheita”.

A previsão da  Associação Brasileira do Trabalho Temporário (ASSERTTEM) é a criação de cerca de 470 mil vagas temporárias no 4º trimestre de 2023, um aumento de 5% em relação ao mesmo período do ano anterior. Segundo a associação, as contratações devem ser impulsionadas principalmente pelo setor industrial (55%), seguido pelos setores de serviços (30%) e comércio (15%).

Direitos do Trabalhador Temporário    

Na modalidade temporária, o trabalhador tem anotação em carteira e os direitos assegurados pela legislação 6.019/1974. Dentre os direitos, estão inclusos pagamento de horas extras, descanso semanal remunerado, 13º salário e férias proporcionais ao período trabalhado. Ele recebe 8% dos seus proventos a título de FGTS e o período como temporário conta como contribuição para a aposentadoria.    

Vale ressaltar que na legislação, o trabalhador temporário pode ser contratado por até 180 dias, com possibilidade de prorrogação por mais até 90 dias. A efetivação pode acontecer a qualquer momento desse período. Junto à Previdência, o trabalhador temporário também tem todos os direitos garantidos, desde que se respeite a carência mínima exigida para o pagamento dos benefícios.   

Ana Cunha/Asimp

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.