Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A CPMI que investiga os atos golpistas de 8 de janeiro vai ouvir Alan Diego dos Santos Rodrigues na quinta-feira (28), a partir das 9h. Ele foi preso no final do ano passado por participar da tentativa de explosão de uma bomba colocada em um caminhão-tanque de querosene no aeroporto de Brasília. Foi condenado a mais de cinco anos de prisão.

A convocação para depoimento de Alan Rodrigues atende a requerimentos apresentados pela relatora da CPMI, a senadora Eliziane Gama (PSD-MA), pelos senadores Izalci Lucas (PSDB-DF), Jorge Kajuru (PSB-GO) e Ana Paula Lobato (PSB-MA) e pelos deputados federais Carlos Sampaio (PSDB-SP), Rubens Pereira Júnior (PT-MA), Rogério Correia (PT-MG), Duarte Jr. (PSB-MA), Duda Salabert (PDT-MG) e Delegado Ramagem (PL-RJ).

De acordo com o senador Izalci, “o extremista Alan Diego dos Santos Rodrigues disse em depoimento no Departamento de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado da Polícia Civil do Distrito Federal que recebeu, no acampamento localizado em frente ao QG do Exército, a bomba colocada em um caminhão perto do aeroporto”.

No mesmo depoimento, o convocado teria confirmado a participação de George Washington de Oliveira, fornecedor do artefato que seria instalado no para-lama de um caminhão-tanque com mais de 60 mil litros de querosene de aviação. Já o jornalista Wellington Macedo de Souza teria ajudado Alan Rodrigues a levar a bomba até o aeroporto.

A senadora Ana Paula argumenta que os atos golpistas e de vandalismo de 8 de janeiro “foram o final trágico de uma jornada iniciada muito antes”.

“A escalada golpista teve muitos capítulos, mas, sem dúvida, um dos mais marcantes foi o da tentativa de atentado com bomba, ocorrido em dezembro de 2022. O Ministério Público apontou que Alan Rodrigues esteve presente nas manifestações que contestavam o resultado das eleições, em frente ao quartel do Exército em Brasília, onde decidiu ‘se unir para praticar delitos’. Seu objetivo era ‘cometer infrações penais que pudessem causar comoção social a fim de que houvesse intervenção militar e decretação de Estado de Sítio’”, acrescenta a senadora.

O senador Kajuru, por sua vez, disse que o atentado “poderia ter causado a perda de muitas vidas (o carro-bomba estava localizado próximo a posto de gasolina e concessionárias de veículos, em pista de muito tráfego) e ainda interrompido o funcionamento do único aeroporto da Capital”.

O deputado Duarte Jr. lembra que Alan Rodrigues foi candidato a vereador da cidade de Comodoro (MT), mas não conseguiu se eleger.

“Possui diversos registros em redes sociais em manifestações contra o resultado das eleições e, junto de lideranças políticas bolsonaristas, como Hélio Negão, Daniel Silveira, Magno Malto e Zé Trovão. Teria participado, ainda, de bloqueios a rodovias, tendo permanecido no quartel-general do Exército”, afirma o deputado.

O presidente da CPMI é o deputado federal Arthur Maia (União-BA).

Agência Senado

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.