Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O governador Carlos Massa Ratinho Junior participou da audiência ao lado dos governadores do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite; Santa Catarina, Jorginho Mello; Espírito Santo, Renato Casagrande; Rio de Janeiro, Cláudio Castro; Minas Gerais, Romeu Zema; Mato Grosso do Sul, Eduardo Riedel; e do vice-governador de São Paulo, Felicio Ramuth.

Os governadores dos estados que compõem o Consórcio de Integração Sul e Sudeste (Cosud) e o Conselho de Desenvolvimento e Integração Sul (Codesul) se reuniram ontem (4), em Brasília, com o ministro da Integração e Desenvolvimento Regional, Waldez Goes, para discutir o Plano de Desenvolvimento e Integração das Faixas de Fronteira e Política Nacional de Desenvolvimento Regional (PNDR), do governo federal. O ministro também apresentou outras propostas da pasta que são de interesse dos estados. 

O governador Carlos Massa Ratinho Junior participou da audiência ao lado dos governadores do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite; Santa Catarina, Jorginho Mello; Espírito Santo, Renato Casagrande; Rio de Janeiro, Cláudio Castro; Minas Gerais, Romeu Zema; Mato Grosso do Sul, Eduardo Riedel; e do vice-governador de São Paulo, Felicio Ramuth.

A proposta do ministério é apresentar aos gestores estaduais os detalhes da construção do Plano de Integração e da Política de Desenvolvimento Regional e seu impacto no Sul e no Sudeste. Lançada em 2012, a PNDR completou 10 anos no ano passado, mas está passando atualmente por um processo de revisão, atualizada pelo Decreto nº 9.810/2019. 

O PNDR é o instrumento legal que delimita a ação do governo federal em busca da redução das desigualdades econômicas e sociais entre as regiões ou dentro delas, por meio da criação de oportunidades de desenvolvimento que resultem em crescimento econômico, geração de renda e melhoria da qualidade de vida da população. 

Entre seus objetivos estão elevar os níveis de desenvolvimento e renda, ampliar a competitividade regional nas áreas que vêm perdendo população, valorizar as cidades médias, interiorizar o desenvolvimento e avançar na diversificação econômica.

Outros temas

Outros projetos do Ministério da Integração e Desenvolvimento Regional também foram apresentados aos governadores, como o Plano Nacional de Proteção e Defesa Civil, programas voltados à revitalização de bacias e nascentes, à irrigação e abastecimento de água (Água para Todos).

Além disso, outro tema de interesse dos sete estados é a criação, através da reforma tributária, do Fundo de Desenvolvimento do Sul e do Sudeste, que está entre as pautas prioritárias do Cosud e do Codesul. Os Fundos de Desenvolvimento Regional ficam no escopo do ministério e atualmente atendem as regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

O mecanismo daria mais condições para o desenvolvimento dos estados do Sul e do Sudeste, com o objetivo de equilibrar desigualdades econômicas e sociais, principalmente nos municípios com os menores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH).

As regiões Sul e Sudeste foram as principais responsáveis pelo crescimento populacional observado no Brasil na última década, segundo os dados do Censo Demográfico 2022. A região que mais cresceu desde o Censo de 2010 foi a Sudeste, que ganhou 4.482.777 pessoas, seguida pelo Sul, com um aumento populacional de 2.546.424. Juntos, os sete estados tem 114 milhões de habitantes, 56% da população.

AEN

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.