Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A servidora municipal Martinha Dutra compõe o Conselho de Desenvolvimento Econômico Social Sustentável, do Governo Federal

Na última terça-feira (12), foi realizada a segunda plenária do Conselho de Desenvolvimento Econômico Social Sustentável (CDESS) da Presidência da República. E a londrinense Martinha Dutra, servidora municipal que integra o “Conselhão”, apresentou ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva e ao ministro-chefe de Relações Institucionais, Alexandre Padilha, as devolutivas referentes a esse primeiro ano de trabalho.

No encontro do CDESS, que foi reinstituído em maio desse ano, todas as comissões e grupos de trabalho tiveram a oportunidade de expor os resultados das ações executadas no decorrer de 2023. O presidente da República destacou na reunião que, para governar, é preciso ter a capacidade de ouvir e aprender com as pessoas. “Eu só tenho que ter capacidade de ouvir. E de ouvir e de aprender. E é isso que vocês fizeram comigo hoje, me deram uma lição. A nossa inteligência está viva, é humana, é homem, é mulheres, é branca, é preta, é baixa, é alta, é gente. E é esta gente que tem que produzir a solução para esse país”, comentou.

Como coordenadora da Comissão Temática de Direitos e Democracia, a professora da rede municipal de Londrina, Martinha Dutra, trouxe dez recomendações referentes a três eixos que os conselheiros debateram e estudaram ao longo desse ano: Sistema de Justiça e Segurança Pública; Defesa da Democracia; Cidadania e Efetividade de Direitos.

Dutra também integra o Grupo de Trabalho da Primeira Infância. “Na Comissão Temática de Direitos e Democracia, fizemos 26 reuniões on-line. E por meio dessas reuniões, estudamos diferentes documentos do Governo Federal, convidamos integrantes dos Ministérios da Justiça e Segurança Pública, e dos Direitos Humanos e Cidadania. Falamos, também, com o Ministério da Educação e com a Secom. E foi uma discussão muito grande, porque o governo está em um processo de retomada de ações estratégicas”, contou.

A conselheira federal revelou que as recomendações e propostas feitas pela Comissão do CNDESS abrangem a retomada do PRONASCI, que é o Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania. “É um programa interministerial operado por Ministério da Justiça, da Educação, da Igualdade Racial, dos Direitos Humanos, Saúde, e outros. Nós também propusemos a retomada do Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência, o Viver sem Limite, ampliando as ações”, acrescentou.

No terceiro eixo abordado pela Comissão, as discussões envolveram o enfrentamento aos movimentos extremistas, fundamentalistas e a desinformação. “Por fim, geramos um documento minucioso, com dados, cenários e, principalmente, sugestões de ações inclusive para o Plano Plurianual, vinculadas a todos esses eixos”, completou Dutra. Todos esses materiais foram entregues ao presidente e aos ministros que participaram da reunião do CNDESS para que, posteriormente, os conselheiros façam o monitoramento das ações estratégicas implementadas.

A coordenadora da Comissão de Direitos e Democracia avaliou esse primeiro ano do CNDESS como intenso e de muito trabalho. “Foi um ano muito profícuo, extremamente produtivo e altamente fecundo. Estão no Conselho pessoas do Brasil inteiro, representantes de diferentes áreas e saberes, o que enriquece demais a discussão. E o presidente se demonstrou extremamente atento, dizendo que a arte de governar pressupõe ouvir pessoas que estudam e vivenciar diferentes realidades, para que o governo de fato possa avançar na reconstrução de políticas públicas capazes de promover a inclusão social e o desenvolvimento econômico e sustentável do país”, concluiu.

NCPML

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.