Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Autor da proposta que acaba com as decisões individuais de ministros do Supremo Tribunal Federal, o senador Oriovisto Guimarães (Podemos/PR) disse, na sessão plenária de ontem (14/5), que o STF brinca com o País ao abusar das medidas monocráticas, e repudiou a última decisão sobre a Lei das Estatais: “A lei foi aprovada pelo Congresso para ser moralizadora e acabar com a nomeação de políticos em estatais. No ano passado, em uma canetada, o então ministro Levandowski suspendeu a Lei, dizendo que era inconstitucional. Ele ganhou um cargo de ministro da Justiça e o presidente Lula pôde nomear todos que ele quis. Agora, 14 meses depois, o Supremo decide que é constitucional, mas que todas as nomeações vão continuar valendo, porque o governo agiu de boa-fé. Não nos chame de idiotas. Estão brincando com o País”

O senador paranaense destacou que, como democrata, reconhece o papel importante do Supremo, mas que quanto mais decisões individuais, menor fica a Corte: “De que vale legislar se uma única pessoa pode anular o trabalho de 513 deputados e 81 senadores? Decisões individuais que podem durar anos. É uma licença para beneficiar os amigos. Nossa segurança jurídica é mandada às favas. Não é possível que esse Senado continue se silenciando diante desses abusos. A PEC 8/2021, de minha autoria, que acaba com essas decisões foi aprovada pelo Senado, mas ela deve estar fazendo companhia na Câmara, na mesma gaveta, à PEC que acaba com o foro privilegiado”.

Asimp/Senador Oriovisto Guimarães

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.