Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Em visita ao Brasil, Pham Minh Chinh defende assento permanente para o Brasil no Conselho de Segurança da ONU, apoia reforma de instituições multilaterais e sugere acordo de bloco asiático com o Mercosul

Um encontro para potencializar acordos econômicos e cooperações entre Brasil e Vietnã, reforçar o interesse comum dos dois países em reformas de instituições multilaterais e projetar um novo horizonte para as relações diplomáticas entre a nação asiática e o Brasil, que completam 35 anos em 2024. Assim pode ser resumido o encontro bilateral entre o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o primeiro-ministro do Vietnã, Pham Minh Chinh, no Palácio Itamaraty, ontem, 25 de setembro.

A reunião marcou o segundo encontro entre os dois líderes em quatro meses. Lula e Minh Chinh já haviam conversado no fim de maio, em Hiroshima, no Japão, à margem da Cúpula do G7.

O Vietnã é o sexto maior destino dos produtos do agronegócio brasileiro, e os dois lados entendem que ainda há grande espaço para ampliação de relações comerciais tanto em proteína animal e agricultura quanto em setores como biocombustíveis, energia renovável e transição para economia de baixo carbono.

Reformas

No campo diplomático, o primeiro-ministro vietnamita alinhou-se ao Brasil ao se dizer convencido de que é preciso trabalhar pela paz no âmbito global. Ele elogiou o posicionamento brasileiro na Assembleia Geral das Nações Unidas, na última semana, em torno da necessidade de reformas dos organismos multilaterais para espelhar a geopolítica atual e defendeu uma vaga permanente para o Brasil no Conselho de Segurança da ONU.

“Apoiamos reformas das instituições multilaterais para aumentar a voz do mundo em desenvolvimento, democratizando e dando efetividade a elas”, disse o primeiro-ministro vietnamita, que ressaltou ainda ter boas expectativas quanto ao período de Presidência do Brasil no G20 e que será parceiro na cobrança de compromissos assumidos pelos países desenvolvidos nas conferências mundiais do clima. Ele ainda ressaltou o interesse em um acordo bilateral de facilitação de investimentos e um multilateral entre a Associação das Nações do Sudeste Asiático (ASEAN) e o Mercosul, apoiado pelo Brasil durante sua Presidência do bloco continental.

Independência

Ao ressaltar a importância das relações entre os dois países, o presidente Lula parabenizou Minh Chinh pelas comemorações referentes aos 77 anos de independência do Vietnã, no último dia 2 de setembro. Pham Minh Chinh se disse impressionado com o desenvolvimento da economia brasileira e destacou que Vietnã e Brasil têm crescido em ritmo parecido.

Ao agradecer a forma cordial como foi recebido, Minh Chinh convidou Lula para uma visita oficial ao Vietnã. “Eu aceitei o gentil convite do primeiro-ministro Pham Minh Chính para ir a Hanói celebrar essa ocasião”, afirmou Lula.

Foto: Ricardo Stuckert /PR

Cargueiro E Aeronaves

O presidente Lula enfatizou as muitas oportunidades para investimentos estrangeiros no Brasil com o Novo PAC, e reforçou que o Brasil tem interesse em aperfeiçoar as relações com o Vietnã também na área da defesa e no intercâmbio em ciência e tecnologia. Lembrou que o Brasil vive momento auspicioso, com oportunidades de novos investimentos na transição energética em diversos campos, como os de energia eólica, solar, biodiesel e hidrogênio verde, entre outros.

Antes de desembarcar em Brasília, Pham Minh Chinh esteve em São Paulo, onde visitou a sede da Embraer. O cargueiro KC-390 e as aeronaves Super Tucanos, produzidas no Brasil, interessariam ao país asiático. Segundo o ministro da Defesa, José Múcio, há possibilidade de o Brasil dobrar as exportações para o Vietnã no setor de Defesa.

Minh Chinh explicou que o Vietnã é um país de 100 milhões de habitantes e em rápido desenvolvimento. Segundo ele, sua nação apresenta um ambiente macroeconômico estável, com inflação controlada, dívida interna e externa sob controle e crescimento expressivo. Destacou ainda que o governo tem enfrentado bem desafios econômicos como equilíbrio fiscal, emprego, segurança energética e alimentar. Em sua avaliação, o Vietnã construiu um socialismo de mercado e será um país de renda média até 2030.

O primeiro-ministro vietnamita afirmou ainda que programas sociais como o Bolsa família e o Minha Casa, Minha Vida se tornaram modelos internacionais e elogiou Lula ao classificá-lo como líder mundial.

Cultura e esporte

A reunião bilateral contou com a participação, pelo lado brasileiro, do vice-presidente Geraldo Alckmin e dos ministros Carlos Fávaro (Agricultura, Pecuária e Abastecimento), Flávio Dino (Justiça e Segurança Pública), Margareth Menezes (Cultura), José Múcio (Defesa) e Camilo Santana (Educação).

Também participaram a embaixadora Maria Laura da Rocha, secretária-geral das Relações Exteriores e chanceler em exercício da pasta, e o assessor especial para assuntos internacionais da Presidência, Celso Amorim.

A ministra Margareth Menezes, por exemplo, destacou que a pasta trabalhará para que em 2024, durante as celebrações dos 35 anos de relações entre Brasil e Vietnã, artistas brasileiros se apresentem no país asiático. Ela também afirmou que outras áreas culturais podem ser desenvolvidas entre as nações, como cinema, música, literatura e dança.

Comércio Bilateral

As relações diplomáticas entre Brasil e Vietnã foram estabelecidas em 1989. A embaixada do Brasil em Hanói foi aberta em 1994, e o Vietnã inaugurou sua embaixada em Brasília no ano 2000.

O volume de comércio entre Brasil e Vietnã chegou a US$ 6,4 bilhões em 2022. Desse total, as exportações brasileiras somaram US$ 3,4 bilhões. Nesse período, o Brasil importou pouco menos de US$ 3 bilhões em mercadorias vietnamitas.

Os produtos mais vendidos pelo Brasil ao país asiático foram: farelo de soja (com 25% do total exportado), soja em grãos (17%), algodão (16%) e milho (14%). Já as importações de produtos vindos do Vietnã foram principalmente de equipamentos de telecomunicação (29%), válvulas e transístores (25%), calçados (6%) e pneus (5,5%).

Secom/Presidência da Repíblica

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.