Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O ano de 2024 começou com um aumento no índice de consumidores inadimplentes, segundo dados do Serviço de Proteção ao Crédito da Associação Comercial e Industrial de Londrina (SPC/ACIL). O número de pessoas que não conseguiram pagar suas contas em dia, no mês de janeiro, e tiveram seu nome inscrito no cadastro de negativados foi 43% maior do que o número de pessoas que conseguiram “limpar” o nome. Em comparação com janeiro de 2023, o índice de pessoas negativadas aumentou 26%.

Nome limpo

Já o índice de consumidores que conseguiram limpar o nome e deixar o cadastro de negativados foi 23% maior em comparação com janeiro do ano passado. Apesar do aumento no número de consumidores que conseguiram deixar o cadastro de restritos, o número absoluto de consumidores negativados também apresentou elevação.

“O Programa Desenrola Brasil, do governo federal, não tem se mostrado eficiente para alcançar os consumidores inadimplentes do comércio varejista. Uma ampliação do programa precisaria trazer formas de inclusão destes devedores, mas, certamente, será a recuperação econômica e a geração de empregos que permitirá uma queda no nível de inadimplência, tanto em Londrina quanto no país”, ressalta Marcos Rambalducci, consultor econômico da ACIL.

Indicadores

Os dados do SPC/ACIL destacam dois índices: o dos consumidores _entrantes_ (incluídos na restrição ao crédito), que deixaram de pagar alguma conta em dia e tiveram o nome inserido no cadastro de inadimplentes; e os _saintes_, que estavam com o nome no cadastro de negativados, mas negociaram ou pagaram suas dívidas e ‘limparam o nome’, recuperando o crédito.

Ranulfo Pedreiro/Asimp

#JornalUnião

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.